Receba GRÁTIS conteúdo do Pedreirão no seu email!

Como usar o Ciclo do Dinheiro de Obra para entregar Obras com lucro

Por: Fabrício Rossi

Não é raro encontrar Engenheiros e Construtoras que têm lucro abaixo do esperado na entrega final das suas Obras.

Você sabia que isso acontece por um único motivo? Esse motivo é a falta de uma habilidade que todo Grande Engenheiro ou Construtora precisa ter.

A verdade é que todo engenheiro que quer crescer na carreira precisa ter a habilidade de lidar com custos, com o dinheiro e com o orçamento da Obra. Todo Engenheiro precisa dominar o Ciclo do Dinheiro de Obra.

Ele é um ciclo que, se aplicado e repetido, é impossível você não conseguir viabilizar e executar as suas Obras com lucro no final.

E nesse artigo, você vai aprender Como usar o Ciclo do Dinheiro de Obra para entregar as suas Obras com lucro.

Porque você precisa saber lidar com dinheiro de Obra

Ainda há Engenheiros e Arquitetos que não perceberam da importância de saber lidar com custos de Obra, e acreditam não ser um conhecimento tão importante assim.

Isso começa lá na faculdade seja de Engenharia ou de Arquitetura, onde o orçamento da Obra é tratado de uma forma secundária e muito superficial. Alguns profissionais, acredite, se formam sem ver absolutamente nada de orçamento de obras na faculdade.

Então você começa a trabalhar em Obra ou até em um escritório e percebe que tudo na engenharia, na arquitetura e nas obras gira em torno do dinheiro. Desde a viabilidade de um empreendimento até a entrega final.

E a maioria das decisões de gestão durante a execução da Obra envolvem custo.

Se o estudo de sondagem diz ser viável a fundação em trado mecanizado e estaca hélice contínua, o que determina a sua escolha final?

Como decidir que tipo de escoras usar quando fizerem os pavimentos superiores da Obra?

Como fazer a correta aquisição dos materiais? Contratação dos subempreiteiros?

E quanto aos equipamentos: você vai alugar ou comprar?

Todas essas decisões dependem do orçamento da Obra, porque é onde estão listados os seus custos. O orçamento da obra é o seu balizador, por isso dominar orçamento é essencial para garantir o sucesso das suas Obras.

 

Como desenvolver a habilidade de lidar com custos

Existe um Ciclo que, se aplicado da maneira correta, é impossível você não executar as suas Obras com lucro no final, porque você vai ter dominado todas as variáveis de uma Obra que envolvem dinheiro.

São 3 pilares fundamentais: o Estudo de Viabilidade, o Orçamento da Obra e o controle dos custos durante a execução.

1) Estudo de Viabilidade

O Estudo de Viabilidade é o documento que você faz para ver se a sua futura Obra é viável de ser construída. Esse é o objetivo do Estudo de Viabilidade.

No momento do estudo de viabilidade, você não tem nada da Obra: nem terreno, nem projetos ou documentos.

Talvez você já tenha um terreno e deseja construir nele. Mesmo se for este o caso, é necessário fazer o estudo de Viabilidade da Obra.

E se você vai comprar um terreno, o estudo de viabilidade é feito antes da compra.

Macete: Todo Estudo de Viabilidade precisa ser técnico-financeiro.

Se o seu Estudo de Viabilidade mostrar que a Obra é viável, você segue para o segundo pilar do Ciclo: o Orçamento da Obra.

2) Orçamento da Obra

O segundo pilar é o orçamento da Obra. Depois que você fez o estudo de viabilidade técnico-financeiro, viu que a Obra é viável e tem o terreno, você começa a reunir as premissas necessárias para a construção: projetos e memorial descritivo.

Com tudo em mãos, chegou o momento de fazer o orçamento.

O objetivo do orçamento da Obra é saber: quanto a Obra vai custar, etapa por etapa? Qual será o lucro da construtora? E isso, antes mesmo da Obra ser construída.

E se for uma reforma, o seu cliente quer saber quanto a reforma dele vai custar. Então você precisa entregar um orçamento fiel a realidade.

Muitos engenheiros e arquitetos acreditam que cada Obra é orçada de uma forma, e isso não é verdade. A maneira que você faz o orçamento de uma casa é a mesma maneira que você orça um prédio, um aeroporto, um hospital.

Você só precisa de um passo a passo certeiro que funciona para qualquer Obra, um método replicável.

Quer aprender as Etapas de um Orçamento? Clique Aqui e Aprenda Agora as Etapas de um Orçamento Perfeito!

Com o orçamento pronto em mãos, chegou a hora de partir para a ação. Hora de executar a Obra!

3) Durante a execução da Obra

O último pilar do Ciclo do Dinheiro de Obra é o controle dos custos durante a execução. E para isso, você utiliza o orçamento da Obra.

O orçamento é o seu balizador para aquisição de materiais e equipamentos, contratação de subempreiteiros, medição de serviços executados, controle do escopo e várias outras decisões de gestão que tem que ser tomadas desde o primeiro até o último dia da obra.

Com o orçamento em mãos, você o utiliza para controlar os custos da Obra, etapa por etapa, e garantir que na entrega final, a sua construtora tenha o lucro previsto.

Uma das ferramentas para controle de custos é a Curva ABC. A curva ABC é baseada no Princípio de Pareto ou Lei 80/20, que, já adaptado para as Obras diz: 80% do custo de uma Obra está em apenas 20% dos serviços.

Macete: A Curva ABC funciona para TODAS as Obras.

Lembre que LUCRO = PREÇO – CUSTOS

Se você não controla os seus custos, você diminui a sua margem de lucro.

Quando você domina o estudo de viabilidade, o orçamento da Obra e o controle dos custos durante a execução, você completa o Ciclo do Dinheiro de Obra e garante que todas as suas Obras sejam entregues com o lucro previsto.

E todo Grande Engenheiro ou Grande Construtora precisa dominar os 3 pilares do Ciclo do Dinheiro de Obra.

 

Gostou do artigo? Me conta aqui nos comentários se você aplica todos os 3 pilares nas suas Obras!

orcamento-obras-conteudo-gratis-pedreirao