Receba GRÁTIS conteúdo do Pedreirão no seu email!

Aprenda Agora como começar o Orçamento da sua Obra, do Zero!

Por: Fabrício Rossi

Você sabe prever os custos dos seus projetos ou da sua reforma?

Se sente confiante em orçar uma Obra por completo?

Se a sua resposta para as questões acima foram “Não”, ou você até conhece as etapas, mas precisa de suporte para orçar um projeto, então esse post é para você!

O Orçamento é a referência para toda a fase de construção de um projeto.  Não saber fazer um orçamento correto aumentará as chances de gastos maiores do que a sua Obra exigiria. Você não quer ter prejuízos com o seu projeto e, em casos mais graves, correr o risco de ter a sua Obra parada por falta de verbas, não é mesmo?

 

Neste artigo, eu vou te ensinar Como começar o Orçamento da sua Obra do Zero, mesmo que esta não seja a sua área, mesmo que você seja estudante, ou não tenha nenhuma experiência anterior. É só continuar lendo.

 

Mas, você sabe o que é, de fato, orçar um projeto?

Orçar é quantificar e custear todos os insumos (mão-de-obra, equipamentos e materiais) para realizar uma Obra ou serviço.

Um orçamento completo deve considerar os custos indiretos envolvidos no seu projeto, aqueles gastos que referentes a manutenção da atividade da empresa.

Macete: Saber diferenciar Custo e Despesa é indispensável para um Orçamento de Obras correto. Muitos profissionais da construção confundem estas definições.

 

Clicando aqui, você verá o nosso Artigo sobre a Diferença entre Custo Direto e Despesa Indireta de uma obra.

 

Os pré-requisitos para elaborar o Orçamento de uma Obra

Antes de começar o seu Orçamento, você precisa ter em mãos quatro pontos principais:

  • Os projetos
  • O memorial descritivo
  • Estudo de viabilidade
  • As leis e encargos sociais vigentes

Ou seja, o que será construído, com o que será construído, se o projeto tem viabilidade técnica e econômica (quais serão os gastos), e quais impostos irão incidir sobre a sua mão-de-obra.

Macete: Em uma Obra, a mão-de-obra corresponde em média, a 50% do custo total. Fique atento as alterações trabalhistas do Governo Brasileiro, com onerações e desonerações da folha.

 

A fase do Levantamento de Quantitativo

Fazer um Levantamento de Quantitativos envolve quantificar todos os serviços de cada etapa que será executada na Obra. Para isso, você precisa dos projetos, memorial descritivo e as especificações técnicas do seu projeto.

Os custos encontrados vão fazer parte do Custo Direto da sua Obra.

A falta de experiência do profissional responsável, que deve conhecer a fundo todas as etapas e sequência da Obra que será executada, e baixo nível de detalhamento dos projetos executivos aumentam a chance de erros no Levantamento de Quantitativos.

Há projetos que já vêm com o Levantamento de Quantitativos listados, e reduzem o tempo gasto nesta etapa.

 

Se você tem dúvidas sobre quais as etapas e sequência de uma Obra, baixe o nosso Guia Gratuito: Etapas e Sequência de uma Obra!

 

Estabelecendo critérios para o Levantamento de Quantitativo

Estabelecer critérios para o seu Levantamento de Quantitativos é importante porque facilita toda a rotina de levantamentos, e aproxima a realidade de execução da Obra com o que foi planejado. Isso diz respeito ao sobreconsumo e à perda de materiais.

Por exemplo, no seu Levantamento de Quantitativos, um critério adotado pode ser não descontar as conexões no levantamento das tubulações de água e esgoto, porque a perda é muito pequena.

Fique atento para os critérios estabelecidos não aumentarem os custos da sua obra.

 

Quantificando os serviços da obra

Para desenvolver um orçamento de qualidade, claro e objetivo, foram criadas as CPU’s, Composições de Preço Unitário. Nela, estão todos os insumos necessários para a execução dos serviços de uma obra.

As Composições de Custo Unitário especificam os custos de cada serviço das etapas da obra.

As CPU’s indicam:

  • Coeficientes de produtividade (mão-de-obra)
  • Consumo de consumo (materiais)
  • Preços unitários coletados no mercado

Com as CPU’s prontas, você irá apenas inserir os quantitativos que foram levantados anteriormente.

 

Nós temos um Artigo completo com o passo-a-passo das CPU’s! Leia mais aqui.

 

Montando o seu Custo Direto

Chegou a hora de montar o Custo Direto da sua obra. Você precisará listar as etapas e os serviços da obra, selecionar as Composições de Custo Unitário de cada serviço, e inserir o custo das suas composições na planilha de Custo Direto.

Na planilha de Custo Direto, a descrição de cada serviço que será executado é retirada do memorial descritivo que você fez antes de iniciar todo o processo de orçamento.

Sempre especifique a unidade de medida das atividades: M3, para o serviço de bota fora, por exemplo, ou unidade de horas, para o custo da mão-de-obra.

Os dados da sua coluna de Quantidade serão retirados do seu Levantamento de Quantitativos; O Custo Unitário, da Composição de Custo Unitário.

Desta forma, você terá o valor do custo total de cada serviço e, ao final do planilha, o seu Custo Direto.

 

Nós temos o e-Book “Rota de Orçamento”, 100% gratuito, com todo o passo a passo que precisa para fazer um Orçamento de Obras. Se quiser ler mais sobre o assunto, é só clicar aqui.

 

Conclusão

Depois de ler sobre como começar o Orçamento de uma Obra e aplicar o nosso passo-a-passo, eu tenho certeza que você elevará o nível dos orçamentos das suas obras e se destacará no mercado.

Macete: Todo orçamento de Obra, por mais detalhado e criterioso, apenas se aproximará da realidade de custos da sua Obra. É impossível prever com exatidão os gastos totais do seu projeto.

 

Pensando em você, que deseja aprofundar o seu aprendizado e dominar o Orçamento Profissional de Obras, do Absoluto Zero ao preço de venda, nós desenvolvemos o Orçamento de Obras Perfeito! Basta clicar no link para conhecer a nossa página.

 

Gostou do artigo?

Me conte como você fazia os seus orçamentos antes! Deixe o seu comentário aqui embaixo.