Fique Atualizado! Receba grátis as atualizações do Pedreirão.

Os Principais Problemas no Planejamento das Obras, Passo a Passo!

Por:fabricio

Amigos, o planejamento pela equipe residente na obra encontra muitos obstáculos que impactam diretamente na qualidade do trabalho realizado. Vejamos alguns dos problemas e dificuldades encontrados por eles:

1. Variação da Capacidade Produtiva

Em obras, o principal recurso utilizado é a mão de obra dos operários. Dessa forma, como não são máquinas, a produtividade dos mesmos apresenta alta variabilidade. Além disso, estes podem ter problemas de saúde, ou outros tipos de imprevisto que irão afetar diretamente no que foi planejado.

Por exemplo: Se está planejado para um determinado dia, a concretagem de uma determinada área e X funcionários faltam porque o ônibus não pôde buscar, o que foi planejado dificilmente será realizado, o que caracteriza o atraso da obra. Assim, se faz necessário identificar as incertezas inerentes ao processo da construção no sentido de reduzi-las ou eliminar seus efeitos nocivos.

2. Falta Conhecimento das Ferramentas de Planejamento

shutterstock_185874245

É comum encontrar profissionais que assumem a postura de tomar decisões rapidamente, tendo por base apenas suas experiências e intuições, sem desenvolver um planejamento adequado. Tal fato deve-se ao à formação de muitos profissionais da área ser deficiente de ferramentas e técnicas de planejamento.

3. Equipes de obra muito enxutas

É difícil para a gerência da obra alocar tempo para a execução do planejamento, principalmente, durante a construção do empreendimento, quando ocorre maior fluxo de trabalho. Dessa forma, recomenda-se um funcionário ou especialista que apresente tempo livre de dedicação a essa atividade.

4. Alta Rotatividade de Mão-de-obra

shutterstock_184351421

Há uma grande rotatividade de profissionais de todos os níveis hierárquicos no canteiro de obra, o que pode gerar retrabalho e perda do histórico de informações que podem afetar no planejamento futuro.

5. Envolvimento do Mestre e Encarregados

Falta do envolvimento do mestre de obra na preparação dos planos de curto prazo. O mestre detém informações sobre as dificuldades que a obra está enfrentando e, assim, pode modificar ou prorrogar metas determinadas nos planos.

6. Planejar sem índices de produtividade

O engenheiro de planejamento não trabalha com índices de produtividade determinados pelo TCPO, de forma que pode subestimar ou superestimar a capacidade da mão de obra. Além disso, o mesmo não faz o planejamento de todos os recursos, por exemplo, as máquinas e matérias primas. Assim, poderá estar previsto para o mesmo dia ou semana, uma atividade que utiliza o mesmo recurso ou o recurso pode não estar disponível no almoxarifado.

7. Estabelecimento de metas de produção fora da realidade

shutterstock_47878237

Há uma dificuldade de se estabelecer metas mais realistas com o estado da produção, na medida em que não se conhece a capacidade real dos funcionários. Na obra em questão, se utiliza prêmio de produção, o operário que atingir a meta, recebe horas prêmio. Observou-se que a meta estava além da capacidade dos operários, assim para não desmotivá-los a meta será reduzida levando em consideração a produtividade real dos mesmos.

8. Descompasso com a equipe de planejamento do Escritório Central

O planejamento e controle do Escritório Central desconhece a realidade da obra e, dessa forma, não consegue trabalhar junto para ter um planejamento da obra mais acertivo. A equipe de planejamento do Escritório Central passa apenas a fazer o controle de produção semanal.

Esses são alguns dos problemas. Nos próximos posts sobre planejamento de obras vamos abordar vários assuntos relacionados.

Abraço a todos!
Pedreirão.
 
Abraço a Todos!
Pedreirão.
  • Jadilson Barbozza

    Bons ensinamentos para os que lidam com construção Cívil, seja; Construtores, Mestres de Obra ou pedreiros.