Receba GRÁTIS conteúdo do Pedreirão no seu email!

Impostos Incidentes na Mão-de-obra, Passo a Passo!

Por:Fabrício Rossi

Em um orçamento que envolve mão-de-obra não podemos considerar somente os salários, devemos levar em consideração os encargos sociais e trabalhistas dos funcionários.

 Macete 01: Não use mão-de-obra informal, sem carteira assinada e sem recolher os encargos, para fugir dos impostos! Um processo trabalhista ou uma fiscalização do Ministério do Trabalho gera custos e multas elevadas.

Os Impostos Sociais ou Previdenciários são taxas que incidem diretamente sobre a folha de pagamento e recaem nos pagamentos feitos ao empregado. Estes encargos são fixados por lei como um percentual fixo sobre a folha de pagamento.

Os Impostos Trabalhistas são os encargos que devem ser pagos diretamente ao funcionário mensalmente ou no término do contrato. Estes impostos são calculados determinando o número de dias produtivos do trabalhador. Veja a tabela abaixo com alíquotas calculadas pelo Sinduscon-MG.

Resumo dos Encargos Sociais aplicados na construção civil (exemplo em MG)

 

Macete 02: Para saber como calcular as alíquotas dos impostos trabalhistas, veja também: Como calcular Encargos Trabalhistas, Passo a Passo! Assim o seu Orçamento estará na realidade da sua Obra.

Observações

1. Não consideramos: Adicional noturno e Faltas abonadas (justificadas por motivos diversos), estes itens podem ser avaliados de acordo com a situação de cada mão de obra.

2. O Pedreirão não tem a pretensão de impor um numero definitivo, mas sim orientar como deve ser tratado este tema que deve ser revisto e adequado para realidade de cada leitor.

Macete 03: Para ter um orçamento mais preciso, entre em contato com o Sindicato que atende a categoria do profissional, neste caso a Sinduscon do Estado que será realizada a Obra para que possa verificar as Convenções Coletivas de Trabalho. No site da Sinduscon terá Cartilhas, Cursos.

 

Um Abraço!
Pedreirão.
[100% gratuito]
[100% gratuito]